Inauguração de Subestação de Rede de Transmissão beneficiará agricultores familiares de Bandeirantes e região

Categoria: Geral | Publicado: segunda-feira, março 8, 2021 as 08:51 | Voltar

A inauguração da ampliação da subestação de energia em Bandeirantes nesta sexta-feira (05), é estratégica para proporcionar a expansão industrial no município e dar condições melhores para a atuação da agricultura.

A obra, que irá beneficiar 8,3 mil clientes das áreas urbanas e rurais. Além de Bandeirantes, a obra vai beneficiar Jaraguari, Corguinho, Rochedo, São Gabriel do Oeste e Camapuã.

“O investimento da Energisa atende a uma demanda de empresários locais, que a partir de agora terão mais estabilidade e qualidade na energia recebida. Isso é passo fundamental para o desenvolvimento econômico da região, tanto para dar condições melhores aos já instalados quanto para atrair novos negócios empresariais ou rurais”, explica o titular da Semagro, Secretário Jaime Verruck.

Subestação

O investimento aumenta em cinco vezes a capacidade da subestação (de 34 mil volts para 138 mil volts), garantindo maior robustez do sistema elétrico.

O diretor-presidente da Energisa, Marcelo Vinhaes, ressalta os ganhos de qualidade do serviço: “a ampliação da capacidade da Subestação Bandeirantes fomenta o potencial econômico da região, por meio da industrialização tanto na área urbana quanto na área rural, bem como promove o desenvolvimento local com a geração de emprego e novos negócios”, finaliza.

Agraer presente

O Diretor-Executivo da Agraer, Fernando Nascimento esteve presente no evento, acompanhando o Secretário Jaime e o Superintendente Rogério Beretta.

“Esse investimento também tem relevância para os agricultores familiares de Bandeirantes e da região, pois têm muitos produtores tradicionais, quilombolas e assentados que dependem da energia elétrica monofásica, de menor qualidade, e a nova Subestação, certamente, contribuirá para que recebam uma energia de melhor qualidade, com menos oscilações, quedas de tensão na rede e, por conseguinte, menos danos aos aparelhos residenciais e aos motores elétricos das agroindústrias”, concluiu, Fernando.

Texto e fotos: Priscila Peres (Semagro) e Fernando Nascimento (Agraer)

Publicado por: Alcineia Santos Maceno da Silva

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.