Governo promove qualidade de vida de servidores e população com melhorias no Parque dos Poderes

Categoria: Geral | Publicado: segunda-feira, abril 10, 2017 as 08:03 | Voltar

Campo Grande (MS) – Com o objetivo de promover a melhoria na qualidade de vida, tanto dos servidores públicos estaduais quanto da população em geral, o Governo de Mato Grosso do Sul vem realizando as manutenções e diversas melhorias na estrutura do Parque dos Poderes. As benfeitorias favorecem ainda todos os que utilizam o parque para a prática de atividades físicas e de lazer. O parque é uma Unidade de Conservação Estadual de Proteção Integral, criada como Reserva Ecológica do Parque dos Poderes em 1.981 e elevada à categoria de Parque Estadual do Prosa (PEP) em 2002.

Prefeito do Parque em entrevista a rádio Blink 102. Foto: reprodução/Blink

De acordo com o prefeito do Parque dos Poderes, Paulo Escobar, o trabalho de revitalização é contínuo, conforme determinação do governador Reinaldo Azambuja. As ações são executadas sempre pensando no bem estar de quem vai usufruir do espaço público, localizado dentro da área de preservação ambiental.

“Nós temos uma equipe que desenvolve um trabalho contínuo de corte e replantio de grama, fazemos o serviço de jardinagem de todas as secretarias, limpeza e manutenção. Pensando na segurança de quem utiliza o parque fazemos a recuperação das calçadas, a pintura das faixas de pedestres, de sinalização e a troca de lâmpadas para garantir a iluminação. Além disso recuperamos os pontos de ônibus, executamos a limpeza constante e manutenção, bem como o serviço de tapa buracos. Tudo respeitando a nossa área verde e o espaço da reserva ambiental com uma política de coletividade conduzida pelo nosso governador”, informou Escobar.

Vista aérea do Parque dos Poderes. Foto: Chico Ribeiro

O Parque Estadual do Prosa fica nos altos da avenida Afonso Pena, possui 135,2573 hectares e está situado dentro do perímetro urbano de Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul.

Conforme o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), tem como objetivo principal preservar amostras de ecossistemas do cerrado, espécies da flora e fauna nele associadas, as nascentes do Córrego Prosa, a valorização do patrimônio paisagístico e cultural da região, objetivando sua utilização para fins de pesquisa científica, educação ambiental, recreação e turismo em contato com a natureza.

Flora

Flora predominante é o cerrado. Foto: divulgação

No Parque do Prosa predominam as formações de cerrado, cerradão e mata ciliar. O parque apresenta ainda vegetação secundária em estado avançado de regeneração.

Nascente do Prosa

O Prosa e Segredo são os dois córregos principais que cortam a cidade de Campo Grande. É no encontro desses dois rios que a cidade Morena, como é conhecida a capital do Mato Grosso do Sul, teve o seu marco inicial, desbravado por José Antônio Pereira.

Nascente do Prosa está localizada dentro do parque. Foto: Arquivo/Imasul

O córrego Prosa nasce no Parque dos Poderes e encontra-se com Sóter na Via Parque, logo após o Parque nas Nações Indígenas, seguindo sob a confluência com a avenida Afonso Pena e depois avenida Fernando Corrêa da Costa.

Fauna

Servidor faz fotos de quatis no pátio de secretaria estadual. Foto: Chico Ribeiro

Durante o dia é possível observar as diferentes espécies de animais que habitam o parque. De forma geral, a fauna pode ser caracterizada em dois grupos: os residentes, que são os animais que podem ser avistados o ano inteiro, se alimentam e se reproduzem na área, independente de reintrodução; e os sazonais, que são as espécies que frequentam a área de acordo com a oferta de alimentos, como as aves.

Entre os principais animais vistos no cotidiano por servidores e frequentadores estão:

  • Quati (Nasua nasua) – nariz comprido (denominação dada pelos índios), com rabo também comprido, cheio de anéis. Sociável como um anfitrião é capaz de fazer amizade muito rápido, em troca de atenção ou comida.Vivem em bandos, com ninhadas de até seis pequenos quatizinhos. Passam a noite enrolados nas árvores e descem para brincar e comer durante o dia.
  • Cotia (Dasyprocta azarae) – avistada com frequência dentro do Parque, possui hábito diurno. Esses animais são importantes dispersores de sementes dos frutos que fazem parte da sua alimentação, principalmente das palmeiras pindó, bacuri, bocaiúva e buriti e do Jatobá.

Tucano no prédio da Governadoria do Parque dos Poderes. Foto: Chico Ribeiro

  • Tucano (Ramphastidae) – ave colorida que chama atenção pelo bico enorme. Tem cores muito vivas que chamam a atenção das fêmeas. O bico é formado por tecido ósseo (dos ossos) e esponjoso (como uma esponja) e portanto é leve embora seja duro. Existem mais de 40 espécies. Se alimentam de frutas, sementes, insetos, ovos de outras aves, lagartixas.
  • Sagui estrela (Callithrix-penicilata) – animais de hábito diurno vivem no Parque em pequenos grupos, de cinco a dez indivíduos aproximadamente. São vistos durante a visitação nas trilhas do Parque.
  • Caiçaca ou jaraca, jaracona (Bothrops-moojeni) – serpente peçonhenta é encontrada com frequência no parque, principalmente em locais úmidos, na serrapilheira e arbustos. Eventualmente pode aparecer perto das estruturas físicas.

Outros representantes catalogados pelo Imasul também fazem parte da fauna nativa. Entre eles estão:

Mamíferos: Tamanduá-bandeira, Tamanduá-mirim, Tatu galinha, Tatu peludo, Sagui-estrela, Macaco preto, Bugio, Lobinho, Quati, Furão, Veado mateiro, Veado campeiro, Capivara, Cotia, paca, Ouriço, Tapiti, Cuíca, Gamba comum, Gamba de orelha branca, Cuíca, Morcego beija-flor, Morcego fruteiro.

Répteis: Caiçaca, Sucuri, Jibóia, Coral Verdadeira, Dormideira, Cobra-cipó, Falsa coral, Cobra d’água, Cobra-cega, Teiú, Jabuti, Cágado, Jacaré do Pantanal, Cará, Cascudo, Lambari, Mocinha, Pacu, Piavuçu, Curimbatá, Mato Grosso.

Aves: Jaó, Socó-boi, Pata do mato, Urubu, Gavião pombo, Gavião carrapateiro, Mutum, Jacu, Saracura três potes, Quero-quero, Rolinha fogo apagou, Rolinha, Pomba-pocaçu, periquito de asa amarela, Jandaia estrela, Alma de gato, Anu preto, Anu branco, Suindara, Coruja buraqueira, Caburé, Bacurau ou curiango, Surucuá de coleira, Surucuá barriga vermelha, Martim pescador, Udu, Araçari de nuca castanha, Pica pau do campo, Picapauzinho, Pica pau real, João-de-barro, Crispim, Formigueiro de asa vermelha, Papa formigas barrado, Choca barrada, Tangará de crista vermelha, Bem-ti-vi de coroa, Siriri, Bem-ti-vi rajado, Andorinha tesoura, Maria cavaleira, Papa-mosca de capuz, Cucurutado, Papa mosquito, Douradinho cristado, Verão, Gralha de crista negra, Sabiá do campo, Sabiá laranjeira, Gente de fora vem, Chopim, João pinto, Miriquita de peito branco, Miriquita amarelada, Sanhaço do coqueiro, Sanhaço cinzento, Tangará de cabeça cinzenta, Tico-tico rei, Canário da terra, Curió, Bicudo, Coleirinha, Trinca de ferro, Caboclinho, Azulão, Pintassilgo, Galo de Campina, Faisão, Ema.

Ponto turístico

O Parque Estadual do Prosa representa um importante instrumento para ser usado na sensibilização do público, por meio de visitas com finalidade de sensibilizar e educar as pessoas para conservação do ambiente natural e seus recursos, bem como a importância das Unidades de Conservação para a sociedade. Ele se tornou um ponto turístico para visitantes das cidades do nosso Estado e também de diversas regiões do Brasil. Eventualmente, recebe turistas de diversas regiões do mundo.

Governador Reinaldo Azambuja e Secretário Jaime Verruck em visita ao Cras. Foto: Chico Ribeiro

No interior do Parque, está localizado o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras) que contribui para a conservação da fauna sul-mato-grossense e recebe visitantes para um passeio guiado por uma área de preservação natural no meio da cidade. Todas as visitas devem ser agendadas por meio do telefone (67) 3326-1370 e seguidas normas para realizar o passeio, como uso de calça comprida e calçado fechado. Também é necessário o uso de repelente, e estar imunizado contra a febre amarela.

Animais são tratados no centro e devolvidos ao habitat natural. Foto: Chico Ribeiro

O centro recebe animais atropelados, vítimas de incêndios, apreendidos do tráfico, entre outros, realiza a reabilitação e devolve ao habitat natural. De acordo com o Imasul, o parque representa um dos últimos remanescente de cerrado dentro do perímetro urbano.

Amigos do Parque

Com a grande quantidade de pessoas adeptas a aproveitar momentos de lazer e esporte na reserva, percebeu-se a necessidade de isolar parte do entorno, garantindo segurança aos frequentadores, por meio do projeto Amigos do Parque. Fruto da lei estadual nº 4682/2015, de iniciativa do deputado Beto Pereira (PSDB), o projeto determina que a mão das avenidas que margeiam a reserva florestal do parque seja interditada.

Diretor-presidente da Fundesporte, Marcelo Miranda e deputado Beto Pereira. Foto: Chico Ribeiro

“Temos no Parque dos Poderes um amplo espaço público sombreado, em meio a uma área verde e livre para quem quer correr, caminhar, andar de patins, bicicleta. A intenção do legislativo é justamente essa: incentivar a prática de atividades físico-esportivas, de recreação e também o turismo em contato com a natureza”, explicou o deputado.

As vias das avenidas do Poeta Manoel de Barros e Desembargador José Nunes da Cunha são fechadas das 7 às 19 horas aos sábados, domingos e feriados para a prática de atividades físicas e de lazer.

O objetivo é fazer do Parque dos Poderes um ponto de encontro e de concentração da população para estimular atividades ao ar livre. O trecho interditado no Parque dos Poderes se estende da rotatória da avenida Mato Grosso (após a Avenida Hiroshima) até a avenida Afonso Pena (em frente ao Corpo de Bombeiros).

Diana Gaúna – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.