Assistência técnica da Agraer de Itaporã estima “Alta” na produtividade de soja

Categoria: Geral | Publicado: terça-feira, fevereiro 16, 2021 as 09:03 | Voltar

Em visita técnica realizada na propriedade do agricultor Paulo Victor, foi realizada uma avaliação técnica do desempenho da lavoura e estimativa de produtividade de soja safra 20/21 da variedade DonMario 66i68 semeada no dia 21 de outubro de 2020.

Mas para chegar até o plantio, houve várias etapas para que a lavoura estivesse nas ótimas condições que se encontra hoje.

No dia 4 de março de 2019, após a colheita da soja 18/19, foi realizada uma coleta de solo em na área de 24 hectares no sistema de Agricultura de Precisão com 16 amostras de solo, o que representou bem o talhão amostrado.

Essa coleta de solo teve por objetivo, definir a variabilidade espacial dos atributos químicos do solo que poderiam estarem afetando a produtividade da soja. Com os mapas de fertilidade do solo em mãos, 7 dias após a coleta, foi realizada uma visita para a entrega técnica dos resultados.

Nas análises de solo apresentadas, Paulo viu que sua área tinha bastante manchas de solo e que seus principais atributos que estariam influenciando a produtividade eram os níveis de Fósforo, Enxofre, Cálcio, Magnésio e Potássio, onde que o Magnésio era o que estava em nível abaixo do ideal em 100% da área, estando abaixo de 15 a 20% da CTC pH 7.

No ano de 2019, antecedendo o plantio soja, foi feita uma correção do potássio na dose de 100 kg/ha e preconizando as manchas de maiores doses, feita com um vincão previamente calibrado.

Em 2020, após o plantio da soja, no dia 21 de outubro, 9 dias após o plantio, foi aplicado a lanço um produto corretivo de solo a base de Cálcio, Magnésio e Enxofre na dose de 291 Kg/há, conforme análises de solo e recomendação corretiva do mesmo. Aplicação foi fora de época, devido atraso da entrega do produto na propriedade. Esse produto era de fácil aplicação, pois era granulado e a aplicação utilizou o mesmo rastro que se aplica defensivo agrícola com pulverizador.

Mesmo com esse atraso na aplicação, em visita na propriedade antes da visita de estimativa de produtividade, Paulo comenta que nunca viu uma lavoura tão boa e uniforme como essa atual, “não encontrava locais com aquela disparidade em altura entre plantas que antes era frequente” comenta, fora o desenvolvimento que estava espetacular.

Já na visita do dia 3 de fevereiro, na qual estimamos a produtividade da soja, a lavoura nos surpreendeu ainda mais.

Foi feita uma contagem de plantas finais por hectare no espaçamento que foi plantado, finalizando em plantas estabelecidas na quantidade de 200.000 plantas por hectare.

A estimativa realizada deu que cada planta ficou com 142,5 grãos e convertendo pelo peso do grão, cada planta tem um peso final de 25,65 gramas.

Para definirmos a quantidade total em kg/ha, bastou multiplicarmos 25,65g por planta com 200 mil plantar por hectare, totalizando 5.130.000 g. Dividindo essa quantidade por 1000 para saber em Kg, temos então 5130 kg/ha. Quando convertido a saca de 60 Kg, temos uma produtividade média estimada em 85,5 sc/ha dessa variedade. Produtividade essa jamais alcançada até o momento, onde que a maior foi de 74 sc/ha.

Segundo Engenheiro Agrônomo da Agraer local, Douglas Pellin, com o manejo pós plantio (controle de erva daninhas, pragas e doenças) sendo realizado no tempo certo, e as chuvas permanecerem boas até o enchimento total dos grãos, a produtividade colheita pode bater muito perto a qual estimamos nessa visita.

 

Texto e fotos: Escritório da Agraer de Itaporã

Publicado por: Alcineia Santos Maceno da Silva

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.